Páginas

15 de janeiro de 2012

Reforma íntima, Cerrado e amor

Canela-de-Ema. Foto de Alessandro Abdala
O espírito deve ser cultivado como um campo... como o cerrado típico, ameaçado pelo descuido humano, mas que contem em seu íntimo o gérmen da regeneração....
... esse gérmen é o amor.
Fogo no Cerrado
Foto de Ecodebate: Cidadania e Meio Ambiente



A vegetação do Cerrado apresenta diversas paisagens florísticas diferenciadas... e a passagem do fogo (aquela natural, não provocada pelo homem) é essencial para a existência do Cerrado que se transforma posteriormente num verdadeiro jardim, onde as diferentes espécies vão florescendo em seqüência.





 
Todos os prazeres da alma dependem do trabalho atual, da reforma íntima, da busca e esforço para vivenciar e sentir de forma verdadeira sentimentos e virtudes dignas do amor.
.... O gérmen do amor se desenvolve e cresce com a moralidade, com a inteligência e com a dor, ou melhor, com o cansaço de sentir dor.
Como e para que se preocupar apenas com a própria felicidade? Que benfeitoria faria pro mundo e para si mesmo? É a lógica natural das coisas: a interação dos fatores que atuam sobre esta e de que ela depende. Conexões biogeofísicas, biogeoespírituais.... o gérmen coexiste.

“O homem, nos ensaios do amor, tem muita vez se equivocado. Pelo amor a personalidades eminentes, atingiu vidas, destroçando outras tantas vidas. Contudo, o amor é de essência divina. Do que se conclui que, em momento algum, por nenhum motivo, pode se tornar arma fratricida ou motivo de dissensão”.
 Necessitamos de afeições sinceras e duráveis, que vos ajudam a percorrer a difícil e dura estrada da existência humana. Para a busca da felicidade, continuemos nos renovando como o Cerrado, nos esforçando para exercer a caridade, a humildade, a paciência, a dedicação, a abnegação, a resignação e o sacrifício que são virtudes filhas do amor. 

 O Amor não causa dor, infelicidade de outrem. Se por vez, causar, todavia, não existe.

 Beijos!!

  Daniela Lemos Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário